Blog

Mulher retira prótese que atraía corrente elétrica.


Placas no pulso funcionavam como para-raios obrigando a paciente a usar fioterra.



PORTO ALEGRE – Dez anos depois de receber uma prótese de metal no pulso direito a sua vida foi transformada em um inferno, a dona de casa Maria de Lourdes Savela Justo, de 45 anos, livrou-se de um pesadelo.

Ela atraia correntes elétricas como se fosse uma espécie de para-raios. Tinha que estar permanentemente ligada a um fio-terra e nem mesmo podia encostar a mão em inofensivos elet rodomést icos como a geladeira.

 

São Paulo
(11) 4426-7099



Mogi das Cruzes
(11) 4426-1400

Santos
(13) 3321-0277

Sorocaba
(15) 3388-4397

Curitiba
(41)3208-4571

Jundiaí
(11) 2666-4767

São José dos Campos
(12) 2138-6233

Bauru
(14) 2109-5899

Campinas
(19) 3322-4771